sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Palestras e Oficinas GRATUITAS EM JANEIRO DE 2010

O Espaço Cultural IBEP promove cursos e oficinas grátis no mês de janeiro. Para participar dos eventos, basta fazer inscição pelo e-mail: espacocultural@ibep-nacional.com.br
O Espaço que conta com livraria, revistaria, espaço HQ, conexão con internet, wi-fi , além do Auditório com capacidade para 55 pessoas sentadas, possui instalações especiais para portadores de deficiência.

Programação:

18/Jan Terça-feira 18 às 20:30hs Oficina - Eu penso... Tu pensas... Nós pensamos... E as crianças?
Jogo de desafios A matemática está inserida no nosso cotidiano e nós de uma forma lúdica, interativa e desafiadora, despertaremos a vontade de pensar. Através de jogos que desenvolvem o raciocínio lógico-matemático brincaremos com a nossa capacidade de vencer pequenos desafios.
Com Eliane Teles de Menezes bióloga, arte educadora e contadora de histórias. Apoio Cantiga Criança - Brinquedos Educativos. Professor Tia Li

19/Jan Quarta-feira 19hs às 21hs
Palestra História dos HQs e HQs raros.
Kendi Sakamoto já foi entrevistado por Marcelo Duarte, da TV Curioso (iG) em uma matéria para o Guia dos Curiosos e pelo programa A Noite é uma Criança, da Band. Segundo ele, esta iniciativa é exclusivamente cultural e "visa mostrar um pouco do mundo maravilhoso dos quadrinhos, suas curiosidades, seus desenhistas e roteiristas mais famosos, e sua contribuição ao mundo real".Como complemento desta matéria, informamos que o Kendi também é escritor, ele publicou recentemente o livro "No Tempo das Matinês: uma retrospectiva sobre os cinemas de bairro" Interesse Geral Kendi Sakamoto

20/Jan Quinta-feira 19h às 21Workshop (meditação) Aqui e Agora
Com Ana Veet Maya Arte educadura, terapeura. Workshop com duas horas de relaxamento e investimento no “Eu” profundo. Interesse Geral Ana Veet Maya

21/Jan Sexta-feira 19h às21 Palestra A Cabala na Psicanálise
Mauro Gertner -mais de 25 anos de experiência na arte de comunicação empresarial. A Cabala possui diversos pontos comuns com a Psicanálise e a palestra visa não só efetuar um paralelo do conhecimento Cabalístico com o da Psicanálise, como propor uma nova frente de ação terapêutica a ser explorada para utilização como ferramenta da Psicanálise tanto no diagnóstico como ainda propor uma nova técnica clínica a ser utilizada na Psicanálise. Interesse Geral Mauro Gertner

26/Jan Quarta-feira 19h às 20:30h
Workshop/dança O ensino da Dança e os seus benefícios
Aproximadamente 400 trabalhos de Produção Artística / Cultural; Mais de 400 Premiações e Títulos em mostra competitivas por todo país; Cerca de 60 participações em eventos (Congressos, Simpósios, Participação na abertura do Prêmio Ser Humano Oswaldo Checchia, no Tom Brasil – Coreografia de um trecho de Carmen da Ópera de Bizet; Participação da conferência “Análise do discurso” Proferida pela Profª Dra. Helena Nagamini Brandão – Universidade Presbiteriana Mackenzie Interesse Geral Tania Ferreira

27/Jan Quinta-feira 19h às 21h Palestra O Diário da Turma-1976-1986- A História do rock de Brasília
Paulo Marchetti era criança quando a Turma da Colina era apenas um monte de adolescentes que procuravam o que fazer em Brasília. Morou lá de 1974 a 1982, na superquadra 111 sul e viu de perto o surgimento da Legião Urbana e todas as outras bandas do cerrado. Virou jornalista e músico.O livro “O Diário da Turma”, traz ainda uma árvore genealógica com todas as bandas e suas formações, toda a discografia dessa Turma até 2000 e outras curiosidades. Interesse Geral Paulo Marchetti

28/Jan Sexta-feira 19h às 21h Palestra/oficina Como receber alunos? Facilitando o entrosamendo nas primeiras semanas
Durante a oficina serão apresentadas atividades de entrosamento e dinâmicas para facilitar a adaptação dos alunos às primeiras semanas de aula, com professores novos, alunos novos e outras dificuldades encontradas. A palestra se destina prioritariamente a educadores de Ed. Infantil e Ens. Fundamental I. Prof. Robson A. Santos, mestre em Educação, Arte e História da Cultura pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Folclorista com especialização em Literatura Folclórica e Aproveitamento Pedagógico do Folclore, formado pelo Museu de Folclore Rossini Tavares de Lima. Pedagogo formado pela UNISA, com habilitação em Administração e Supervisão Escolar. Professor Robson A. Santos

29/Jan Sábado 10h as 12h Palestra A prática pedagógica em ambientes hospitalares
Pedagogo, Professor universitário, mestrando em Educação e Saúde pela Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP, Especialista em Desenvolvimento Humano, Educação e Inclusão Escolar pela Universidade de Brasília - UnB, Pedagogo Hospitalar do Hospital Municipal Menino Jesus, Coordenador do SENAC. Atuou como docente na FEBRABAN (Federação Brasileira de Bancos) e no CADIA - Centro de Apoio ao Deficiente Intelectual Adulto da Sociedade Pestalozzi.



Espaço Cultural IBEP
Rua Santo Amaro, 766 - Bela vista, próximo ao metrô São Joaquim
Tel. (11) 2936-4491
Estacionamento ao lado, gratuito para participantes dos cursos.
Grátis (inscrições através do email espacocultural@ibep-nacional.com.br)

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Campanha sobre racismo nas escolas será "puxão de orelha" na sociedade, diz secretária

Campanha sobre racismo nas escolas será "puxão de orelha" na sociedade, diz secretária
02-Dec-2010
Em um Mundo de Diferenças, Enxergue a Igualdade. Esse é o tema de campanha lançada no dia 29 de novembro pelo Ministério da Educação (MEC) e a Unicef para alertar sobre o impacto do racismo nas escolas e promover iniciativas para a redução das desigualdades.

Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram que das 530 mil crianças entre 7 e 14 anos fora da escola, 330 mil são negras. O índice representa 62% do total. Para a subsecretária de Promoção dos Direitos da Criança e do Adolescente, Carmen Oliveira, a iniciativa é um "puxão de orelha na sociedade em geral e nos responsáveis pelas políticas públicas para o setor", porque chama a atenção para a criminalização da adolescência negra no país.

A campanha tem como fundamento as dez maneiras de contribuir para uma infância sem racismo. Entre elas, o incentivo ao comportamento respeitoso e à denúncia, além da lembrança de que racismo é crime inafiançável.

- Educação é mais do que aprender a ler, escrever e contar. É aprender a viver junto, a não se intimidar diante da opressão e encontrar na vida forças para enfrentar resistências - afirmou o secretário de Educação Continuada do MEC, André Lázaro durante entrevista à Agência Brasil.

A campanha terá dois filmes, de 27 segundos e de 30 segundos, veiculados na televisão e na internet. Foi criado também um blog, no endereço www.infanciasemracismo.org.br. Na página, o internauta vai poder contar também histórias de sucesso ou de discriminações que tenha sofrido ou presenciado. O blog ficará no ar durante um ano, tempo de duração da campanha. (Fonte: O Globo)

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Cinema Inclusivo!

Clique na imagem par ampliá-la!


03 DE DEZEMBRO - DIA INTERNACIONAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA

03 DE DEZEMBRO - DIA INTERNACIONAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA

VIRADA INCLUSIVA


Participação Plena



*Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência - SEDPcD

Rua Auro Soares de Moura Andrade, 564 - Portão 10 - Barra funda

(Memorial da América Latina - ao lado do metrô Barra Funda)



A Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência do Governo do Estado de São Paulo tem por finalidade o desenvolvimento de políticas públicas voltadas à população com deficiência e suas famílias. Neste ano de 2010, decidiu-se por celebrar de forma genuinamente inclusiva o Dia Internacional da Pessoa com Deficiência - 3 de dezembro, com o evento "Virada Inclusiva: Participação Plena", em parceria com a Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida de São Paulo e mais de 40 instituições atuantes na área da deficiência, numa conjugação de esforços, apoio técnico e logístico.



O evento constitui de uma série de shows, palestras, oficinas, apresentações, mostras teatrais, exposições, partidas, gincanas e demais manifestações de arte, cultura, esporte e lazer em uma variada gama de lugares em diversos municípios do estado de São Paulo. As atividades acontecem entre os dias 3 e 4 de dezembro, contando com mais de 24 horas de diversão inclusiva e informação com participação plena de todos os cidadãos.



As ações constituem em esforço conjugado de outras Secretarias e esferas da administração pública do Estado e Município de São Paulo e da sociedade civil organizada, também contando com a participação voluntária de pessoas e grupos do mundo artístico e esportivo, de forma a garantir a mobilização necessária dos recursos imprescindíveis à realização do evento.



A "Virada Inclusiva: Participação Plena" só será possível com a participação de todos. Contamos com sua presença, consulte a Programação e participe.

Avise os familiares e amigos!

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

VENHA DEBATER O BULLYING NAS ESCOLAS

Palestra sobre Bullying
Data: 09 de dezembro de 2010.
Horário: Das 17:00 horas até as 21:30 horas.
Local: Rua Lord Cockrane n. 616, Auditório, Ipiranga, São Paulo – SP. Estacionamento no local.
Tema: VENHA DEBATER O BULLYING NAS ESCOLAS
Investimento: evento gratuito.
Público alvo: advogados, jornalistas, pedagogos, sociólogos, psicólogos, empreendedores do ensino privado, Diretores de escola pública, professores da rede pública de ensino, professores da rede privada de ensino, público em geral.
Limite de vagas : 60 pessoas. Necessidade de reservar vaga para comparecimento. Data limite da reserva, dia 07 de dezembro de 2010. Reserva pelos telefones : 2915-0853 ou 7300-1408, ou ainda 9944-4121. Fornecer quando da reserva: nome, endereço, telefone, email.
Patrocinadores: GABINETE JURÍDICO – Consultoria Empresarial e Treinamento Ltda., Rua Lord Cockrane n. 616, conjunto 309, Ipiranga, São Paulo/SP, telefones: 2915-0853, celular comercial: 7300-1408; endereço eletrônico: contato@gabinetejuridico.com.br, site: www.gabinetejuridico.com.br - ALONSO, BARRETTO & CIA. – Auditores Independentes, Rua Agostinho Gomes n. 2675, Ipiranga, São Paulo/SP, telefone: 3255-8310, endereço eletrônico: alonso@alonso.com.br, site: www.alonso.com.br
Assessoria de Imprensa : Office 3 – Carolina Lara
Cobertura Jornalística Local : Ipiranga com Estilo, Revista Luxo, Ipiranga News e Gazeta do Ipiranga
Formato: Mesa de Debates constituída por um membro do Conselho Tutelar; um político; um pedagogo; um assistente social; 2 Diretores de Escola (1 de Escola Pública e outro de Escola Privada); um psicólogo; um jornalista; um advogado especializado. A Mesa de Debates será dirigida por um Presidente (um membro do Grupo de Patrocinadores) e um Mediador (um jornalista).
Auditório com direito a fazer perguntas por escrito ou no microfone (2 secretárias para gerenciar as perguntas – uma de cada um dos patrocinadores)
Finalização: Constituição de uma associação para defesa das vítimas do Bullying. Formação de um Grupo de Estudos do Bullying nas Escolas.
Pauta:
17:00 horas – 17:30 horas – Apresentação do público no local do evento, cadastramento e retirada de crachá.
17:30 horas - 17:45horas - Apresentação dos patrocinadores e dos membros da Mesa de Debates.
17:45 horas – 18:00 horas – Apresentação do tema e colocação das questões para debate.
18:00 horas - 19:30 horas - Início dos Debates.
19:30 horas – 20:00 horas – Respostas às perguntas do Auditório
20:00 horas – 20:30 horas – Adesão para a Associação em Defesa das Vítimas do Bullying e para Grupo de Estudos
20:30 horas – 20:45 horas – Encerramento dos trabalhos.
20:45 horas – 21:30 horas - Coquetel.


Questões para Debate: Atualmente a prática do bullying se constata na educação infantil, no ensino fundamental e no ensino médio; nas escolas públicas ou nas privadas; urbanas ou rurais. Esse problema é uma questão da educação ou da família? A quem compete colocar um limite? Qual a responsabilidade das instituições que apóiam os direitos da criança e do adolescente? E quanto ao governo e suas políticas públicas? E o que se dizer da sociedade, passiva diante de um cotidiano de filmes de violência, games e Internet? Haveria uma responsabilidade dos meios de comunicação? O bullying nas escolas pede controle, prevenção ou repressão? Você acredita que uma legislação que prevê políticas públicas contra o bullying nas escolas é suficiente para resolver a violência infantil? Indenizações e multas fixadas pelo Judiciário são medidas eficazes?

PALESTRA NA FMUSP SOBRE VIDA COM DEFICIÊNCIA

A Faculdade de Medicina da USP (FMUSP) promove, terça-feira (30/11), às 12 horas, a palestra O jovem com Deficiência no mundo de hoje: amigos, sexualidade, escola, lazer com a professora Ana Cristina Souto.

O evento, gratuito, aberto e sem necessidade de inscrição, acontece no Anfiteatro de Patologia, sala 1104, na FMUSP.
Endereço: Av. Dr. Arnaldo, 455, Cerqueira César, São Paulo, próximo à estação Clínicas do metrô
Contato: (11) 3061-7185, site www.fm.usp.be/ccex

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Fórum: 1º Fórum sobre LIBRAS

Fórum: 1º Fórum sobre LIBRAS
Site: http://www.librasnaciencia.com.br/programacao.jpg
Responsável: Profa. Dra. Valéria Cazetta

Local:
Data: 27/11/2010 a 27/11/2010
Hora: 08h00 a 14h00
Inscrição: www.librasnaciencia.com.br

Público-alvo:

Descrição: A Língua Brasileira de Sinais foi desenvolvida a partir da língua de sinais francesa. As línguas de sinais não são universais, cada país possui a sua.
A LIBRAS possui estrutura gramatical própria. Os sinais são formados por meio da combinação de formas e de movimentos das mãos e de pontos de referência no corpo ou no espaço.
Segundo a legislação vigente, Libras constitui um sistema lingÜístico de transmissão de idéias e fatos, oriundos de comunidades de pessoas surdas do Brasil, na qual há uma forma de comunicação e expressão, de natureza visual-motora, com estrutura gramatical própria.
Decretada e sancionada em 24 de abril de 2002, a Lei N° 10.436, no seu artigo 4°, dispõe o seguinte:
"O sistema educacional federal e sistemas educacionais estaduais, municipais e do Distrito Federal devem garantir a inclusão nos cursos de formação de Educação Especial, de Fonoaudiologia e de Magistério, em seus níveis médio e superior, do ensino da Língua Brasileira de Sinais - Libras, como parte integrante dos Parâmetros Curriculares Nacionais - PCNs, conforme legislação vigente".
Fonte: Centro de Referência em Educação(CRE)

Contato Rafael (11) 8526-1823

PALESTRA SOBRE POLÍTICAS PÚBLICAS PARA IDOSOS

PALESTRA SOBRE POLÍTICAS PÚBLICAS PARA IDOSOS NO IEA
Dia 24 de novembro, os pesquisadores Ana Amélia Camarano do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e José Luiz Riani Costa, da Universidade Estadual Paulista (Unesp), realizam a palestra "Políticas públicas relacionadas à pessoa idosa". O encontro integra o ciclo Idosos do Brasil: Estado da Arte e Desafios.

O evento ocorre às 14 horas, no Auditório Alberto Carvalho da Silva, na sede do Instituto de Estudos Avançados (IEA) da USP. A entrada é franca e não é necessário fazer inscrição prévia.

Endereço: Rua da Reitoria (antiga Travessa J), 374, térreo, Cidade Universitária, São Paulo
Contato: (11) 3091-1678, email sedini@usp.br

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

IV SIMPÓSIO DE ESPORTE ADAPTADO E SAÚDE

IV SIMPÓSIO DE ESPORTE ADAPTADO E SAÚDE .

Data: 06/11/10

Tema: TREINAMENTO ESPORTIVO NO PAIN NO GAIN?

Local: Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa
Rua Pedro de Toledo 1651
Horário das 8;00 ás 18:00 horas

Inscrição no site : www.esporteadptado.com
simposio@esporteadaptado.com

Encontro de Formação

2º Encontro de Formação – Atendimento à diversidade: Adequações
curriculares/avaliação processual
Objetivo: discutir aspectos relacionados ao atendimento às especificidades dos alunos com deficiência intelectual no que se refere às adequações curriculares favorecedoras ao processo de aprendizagem.
Público: Profissionais da área da Saúde e da Educação
Datas: 25/11/2010
Carga Horária: 02 horas
Horário: 18h00 às 20h00
Formato: 01 encontro
Conteúdo Programático: processo de aprendizagem, prática pedagógica, estratégias e materiais de apoio.
Docentes: Profissionais da ABADS
Vagas limitadas (mínimo de 30 pessoas)
Obs.: Haverá envio de certificado de participação no evento

Investimento:
Profissionais = R$ 40,00
Alunos de graduação*, pós-graduação* e professores** = R$ 35,00
Grupos de 05 pessoas = R$ 35,00
* alunos regularmente matriculados em 2010 com comprovante
** professores da rede pública e privada

Dados bancários
Banco do Brasil - 001, Agência 0584-3, c/c 9900-7, ABADS.
Enviar comprovante do depósito e de escolaridade/função até o dia 17/11/2010, com nome e telefone para o Fax: (11) 2905.3045/ 2905.3048 – A/C Depto. de Cursos
Local de Realização e Informações:
ABADS (antiga Sociedade Pestalozzi de São Paulo)
Av. Morvan Dias de Figueiredo, 2801 – Vila Guilherme - São Paulo
Fone: (11) 2905 3045 / 2905 3047 / 2905 3048 - Ramal 240
E-mail: cursos@abads.org.br

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Programa Oi de Patrocínio Esportivo Incentivado 2010

Com o objetivo de estimular a reflexão e o desenvolvimento de ações que envolvam o esporte como inclusão social, o Oi Futuro lançou a edição 2010 do Programa Oi de Patrocínios Esportivos Incentivados. O Programa seleciona projetos voltados para cidadania e que, ao mesmo tempo, identifiquem novos talentos desportivos e paradesportivos em centenas de comunidades de todo o Brasil.
Participe você também dessa iniciativa! Revele projetos que apóiem e fomentem o esporte brasileiro, do menor município ao maior estado. Fique atento: as inscrições vão até 26 de outubro de 2010 às 23h.

Inscreva o seu projeto pelo site http://www.oifuturo.org.br/programaoidepatrocinioesportivo2010/ e tire dúvidas sobre o edital, ficha de inscrição, dados, tipos de projetos e muito mais através do nosso Fale Conosco: oifuturo_esportes@oi.com.br.

Você também pode participar dos nossos fóruns de discussão na Comunidade do Oi Futuro Esporte no Orkut: http://bit.ly/cFV6VH ou no Yahoo! Respostas: http://bit.ly/YR-OiFuturoEsporte.

Então não esqueça: as inscrições vão até 26 de outubro, às 23h. Participe dessa iniciativa e ajude a revelar novos talentos no esporte!

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Para se emocionar com quem vê com os olhos do coração!

Para se emocionar com quem vê com os olhos do coração!
Vocês não podem ficar fora deste espetáculo maravilhoso no qual a verdadeira superação dos limites emocionam os olhos de quem vê através dos olhos do coração…..de quem não vê……..

A Associação de Ballet e Artes para Cegos Fernanda Bianchini apresenta:

III Ato de Copéllia:

Data 05/11/2010 – 6a. feira

Horário: 20.30 hs

Teatro: Paulo Autran

Endereço: Av. João Dias 2046 (dentro da Faculdade Italo Brasileira)

Estacionamento no local

Convites: R$ 25,00

Meia: R$ 12,50

Antecipados para grupos escolares e/ou empresas: 15,00

Informações e Vendas na Associação (50848542 ou 99452133)

II Fórum de Ensino Superior sobre os desafios para o ensino de História e Cultura Africana e Indígena

SMPP promove II Fórum de Ensino Superior sobre os desafios para o ensino de História e Cultura Africana e Indígena
O II Fórum do Ensino Superior sobre os desafios para o ensino de História e Cultura Africana e Indígena, promovido pela Secretaria de Participação e Parceria, tem como objetivo discutir e elucidar a importância do ensino das culturas africanas e indígena nas escolas.

A Secretaria de Participação e Parceria (SMPP) promove o II Fórum do Ensino Superior sobre os desafios para o ensino de História e Cultura Africana e Indígena. O evento vai ocorrer entre os dias 21 e 23 de outubro no Auditório da Escola Americana da Universidade Presbiteriana Mackenzie.

O II Fórum é uma iniciativa da Coordenadoria dos Assuntos da População Negra (Cone) juntamente com o Núcleo Étnico – Cultural da Secretaria Municipal de Educação. O objetivo é discutir a aplicação das Leis 10.639 e 11.645, que caracterizam como obrigatório o ensino da cultura afro-brasileira e indígena nas escolas.

O II Fórum do Ensino Superior serve também como uma forma das instituições participantes fazer a troca de experiências de programas e projetos elaborados sobre o tema.

Ao longo dos três dias, os participantes poderão acompanhar conferências, palestras, oficinas e lançamentos de publicações sobre a temática. Os interessados a participar devem enviar um e-mail para forumeduccone@prefeitura.sp.gov.br ou pelo telefone 3113-9745.

O II Fórum é destinado principalmente para docentes, discentes, diretores e educadores de Universidades e professores, coordenadores e diretores de Escolas Municipais de São Paulo. Além de todos que se interessam pelo tema e queiram intercambiar experiências e conhecimento com os demais participantes.

Além da Universidade Presbiteriana Mackenzie, a realização do II Fórum do Ensino Superior conta com o apoio das Universidades: PUC-SP; Uniderp; Belas Artes; Unicastelo; Famosp; Unisa; Zumbi dos Palmares; Unifiesp; Unasp; São Camilo; UniSant’Anna; Faculdade Anhanguera; Uniban; Fespsp; Faculdade Izildinha. Também participam as editoras Summus, Paulus, Peirópolis, Quilombhoje, Mazza, o Núcleo de Estudos Neinb e a Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial.

Confira a programação completa do evento

Serviço

II Fórum do Ensino Superior sobre os desafios para o ensino de História e Cultura Africana e Indígena
Data: 21, 22 e 23 de outubro
Local: Auditório da Escola Americana da Universidade Presbiteriana Mackenzie - prédio 29
Endereço: Rua Piauí, 130, Consolação
Telefone: 3113-9745

segunda-feira, 27 de setembro de 2010


No dia 25 de setembro, estive ministrando uma palestra no Espaço Cultural IBEP. Foi uma manhã super agradável, onde abordamos questões de Inclusão, que envolvem entre outros assuntos: pessoas com deficiência, questões de gênero, raça, etnia, senioridade, Políticas Públicas, acessibilidade...

Apresentei durante a palestra, slides sobre inúmeras reproduções de como a pessoa com deficiência era retratada em pinturas do século XIV ao sé. XX. Vimos ainda, pinturas que retratavam o preconceito em relação aos negros, ao índio, às pessoas obesas...falamos sobre o infanticídio indígena, que ocorre no Brasil em nossos dias e que é pouco divulgado.


Apresentei um esquema sobre indiferença e preconceito, que nos ajuda a entender como o processo de exclusão ocorre.

Agradeço mais uma verz ao Espaço Cultural IBEP, pelo convite e aos colegas professores, pedagogos, psicólogos e demais interessados no assunto que compareceram ao evento.

Aproveito para divulgar que no dia 20 de novembro (sábado), no Espaço Cultural IBEP, estarei ministrando uma palestra sobre: Bullying no ambiente escolar. Nesta palestra veremos...O que é Bullying? Quais os tipos cde Bullying? Bullicídio, Como perceber se uma criança está sendo vítima de Bullying. Como prevenir...

Abraços pedagógicos,

Marcelo Clemente

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

SEMINÁRIO A INCLUSÃO EDUCACIONAL DE PESSOAS COM SURDOCEGUEIRA E DEFICIÊNCIA MÚLTIPLA SENSORIAL


SEMINÁRIO:
A INCLUSÃO EDUCACIONAL DE PESSOAS COM SURDOCEGUEIRA E DEFICIÊNCIA MÚLTIPLA SENSORIAL

18 de Setembro de 2010
Local: UniSant’Anna
Rua: Voluntários da Pátria, 257 - Santana
Inscrições: www.ahimsa.org.br/eventos.html
Informações: ines.igino@ahimsa.org.br
Inscrição Gratuita

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Agenda - 25/09 - Palestra sobre Inclusão - Preletor: Prof. Marcelo Clemente


Clique na imagem para ampliá-la.

Palestra sobre Inclusão - Aspectos, Éticos, Políticos e Educacionais.
Data: 25 de setembro
Horário: 10h
Investimento: atividade GRATUITA
Preletor: Prof. Marcelo Clemente
Pedagogo, Professor universitário, mestrando em Educação e Saúde pela Universidade Federal de São Paulo - Unifesp, pós-graduado em Desenvolvimento Humano, Educação e Inclusão Escolar pela Universidade de Brasília - UnB, Pedagogo Hospitalar do Hospital Municipal Menino Jesus, atuou como professor do CADIA - Centro de Apoio ao Deficiente Intelectual Adulto da Sociedade Pestalozzi.
Local: Espaço Cultural IBEP - Companhia Editora Nacional
Rua Santo Amaro, 766 - Em frente à Praça Pérola Byigton - Travessa da Avenida Brigadeiro Luís Antonio
VAGAS LIMITADAS
EVENTO GRATUITO COM CERTIFICADO

Inscrições por e-mail: espacocultural@ibep-nacional.com.br
Informações: 2936-4491


Clique na imagem para ampliá-la.

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Semana de Inclusão e Acessibilidade na PUC


Clique na imagem para ampliá-la.

Durante duas semanas, em setembro, a PUC-SP ampliará o debate sobre a inclusão e a acessibilidade . O tema será abordado tanto do ponto de vista das necessidades e dos avanços internos quanto de sua repercussão na sociedade. A Semana de Inclusão e Acessibilidade na PUC-SP se realizará por iniciativa das Pró-Reitorias de Cultura e Relações Comunitárias e de Graduação. O evento tem previstas atividades como mesas-redondas nos campi Perdizes, Barueri, Sorocaba, Santana e Consolação. Elas tratarão do tema a partir de váriados enfoques, abordando o direito das pessoas com deficiência, passando por apresentações dos trabalhos acadêmicos e comunitários desenvolvidos pela PUC-SP e discussões sobre tecnologia assistiva. Estão previstas ainda distribuição do manual Pessoas com deficiência: trocando experiências e apresentações culturais. Todo o evento terá tradução em Libras.

Programação:
Veja aqui:


http://www.pucsp.br/programacao_semana_acessibilidade


Local de realização:
Campus Perdizes

Campus Santana

Campus Consolação

Campus Barueri

Campus Sorocaba

Página do evento:
http://www4.pucsp.br/semanaacessibilidade/

Público Alvo: Destinado a alunos, professores e funcionários da PUC-SP e interessados em geral
Inscrições:

Tel.: (11)3670-8544 ou recepac@pucsp.br

Informações adicionais:

*Todas as palestras serão traduzidas em Libras
**Para as mesas redondas no campus Perdizes a entrada acessível será pela rua Ministro de Godói, 1029

Promoção:
Pró-Reitoria de Cultura e Relações Comunitárias
Pró-Reitoria de Graduação
Patrocínio: Banco Bradesco
Apoio: Associação dos Pintores com Boca e Pés

domingo, 29 de agosto de 2010

50 Vagas para deficientes na Scania de São Bernardo do Campo.

Amigos,
Se conhecerem alguém, indiquem por favor, pois é tão difícil
aparecerem esses empregos, e quando aparecem não nos lembramos de ninguém.


Bom dia a todos! Estou selecionando deficientes,vocês
conhecem alguém para indicar? No total são 50 oportunidades, todas para uma grande montadora em São Bernardo do Campo.

Salário: R$ 2.266,00
Horário de trabalho: das 8:00 às 17:00
Dias trabalhados: Segunda a Sexta
Benefícios oferecidos: Assistência médica e odontológica,
seguro de vida, refeitório no local, Participação nos lucros e
resultados, fretado.

Requisitos: Ensino médio completo;
Nível de deficiência
( X ) Física ( ) Cadeirante
( ) Deficiências múltiplas
( X ) Ausência de membro superior
( X ) Ausência de membro inferior
( X ) Física utilizando bengala ou muleta
( ) Andador ( ) Ostomia
( X ) Encurtamento de membro inferior ( X ) Nanismo
( ) Auditiva
( X ) Encurtamento de membro superior ( ) Visual ( )Baixa visão
( ) Deficiência Intelectual<"arialms?,?sans-serif?;color:navy?="" unicode="">
(X ) Uso de prótese

Forma de contato ( especificar ): envio de currículo para o e-mail: flavia_barbieri@cieesp.org.br

Atenciosamente
Flávia Barbieri Retzer
Apoio Comercial - Unidade SB Campo
End: Av. Senador Vergueiro, 355 - Jd do Mar/SBC
CEP: 09750-000
Fone: Fax:
Site: www.ciee.org.br

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

domingo, 1 de agosto de 2010

Inclusão de autistas em escola regular divide especialistas e pais

A educação de autistas por escolas regulares e o tratamento com o uso de dietas sem glúten causaram polêmica entre especialistas, representantes e associações de pais de crianças autistas na reunião conjunta desta quarta-feira das comissões de Direitos Humanos e Minorias; e de Legislação ParticipativaCriada em 2001, tornou-se um novo mecanismo para a apresentação de propostas de iniciativa popular. Recebe propostas de associações e órgãos de classe, sindicatos e demais entidades organizadas da sociedade civil, exceto partidos políticos. Todas as sugestões apresentadas à comissão são examinadas e, se aprovadas, são transformadas em projetos de lei, que são encaminhados à Mesa Diretora da Câmara e passam a tramitar normalmente..

O neuropediatra José Salomão Schwartzmann criticou a exigência de que as crianças autistas sejam educadas em escolas regulares. Para ele, a adaptação às escolas comuns depende de cada criança. “Se o indivíduo tiver rendimento na escola regular, tudo bem. Mas exigir isso de todos é um desserviço à pessoa, que vai se marginalizar ao invés de socializar”, disse o médico, que condenou o fechamento das escolas especiais.

A diretora da Escola Metamorfose de Niterói (RJ), Sandra Cerqueira, afirmou que, na sua experiência à frente de uma escola privada especializada em autismo, um portador da doença precisa de alguns requisitos mínimos na educação que não são oferecidos pelo Poder Público: acompanhamento familiar especializado, número reduzido de alunos, currículo personalizado e equipe muiltisciplinar. “O autista tem de ser avaliado individualmente e ser tratado nas suas deficiências”, disse.

Já a pesquisadora da Universidade Federal de Natal Eliana Rodrigues Araújo defendeu a inclusão dos autistas em escolas regulares. “A educação pública é um direito de todas as crianças, e é preciso que se ofereça condições para isso”, comentou a pesquisadora, que tem um filho autista. Segundo ela, a inclusão do seu filho na escola só foi possível depois de muito diálogo com os professores, que não estão capacitados para lidar com crianças autistas.

Alimentação


O médico Salomão Schwartzmann criticou ainda o uso de tratamentos que não foram comprovados cientificamente, como é o caso do uso de dietas sem glúten em crianças autistas. O método é utilizado pela diretora da Escola Metamorfose, Sandra Cerqueira, que defende projetos de leis estaduais para que o Sistema Único de Saúde (SUS) financie exames para o estudo desse tratamento.

O médico alertou que o sucesso em casos pontuais não pode ser generalizado sem o devido estudo. “Se o filho de alguém tem alteração quando come glúten, ele tem de ter uma dieta especial. Mas sugerir que isso seja aplicado a todos os autistas do Brasil e que o Poder Público pague por isso, sem comprovação científica, não tem sentido”, afirmou Schwartzmann. Segundo ele, ainda não se conhecem as consequências de retirar o glúten da dieta de uma pessoa que não tenha alergia.

Sandra Cerqueira rebateu as críticas do neuropediatra. Ela disse que há pesquisas suficientes que apontam intolerância ao glúten e outras substâncias por crianças autistas e que é preciso investir na pesquisa desses sintomas. “Quanto tempo vamos esperar para que essas pesquisas sejam comprovadas? Até que nossos filhos cresçam, se tornem adultos e já não possam ser tratados?”, questionou a diretora.

Palestrantes cobram capacitação de profissionais para lidar com autismo


É preciso investir na divulgação de informações sobre o autismo para professores, médicos, pais e agentes públicos, para facilitar o reconhecimento dos primeiros sinais da doença e permitir o diagnóstico precoce. A opinião é da presidente do Movimento Orgulho Autista Brasil, Alexandra Capone, que participou nesta quarta-feira de audiência pública das comissões de Direitos Humanos e Minorias; e de Legislação Participativa. Na sexta-feira (18), será comemorada a sexta edição mundial do Dia do Orgulho Autista

Ela defendeu que o autismo seja objeto de uma disciplina obrigatória nos cursos de Medicina e de Pedagogia, para que esses profissionais sejam preparados para lidar com a doença e que o governo invista em campanhas nacionais de esclarecimento sobre a doença. “O maior problema atual continua sendo o diagnóstico. Temos apenas um psiquiatra infantil para cada 33 mil crianças com transtornos severos”, disse.

Segundo ela, bombeiros, policiais e agentes do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência também precisam ser capacitados para lidar com autistas. “Esses agentes que podem lidar com portadores da doença no dia-a-dia precisam saber como abordá-los se estiverem desacompanhados”, ressaltou.

Diagnóstico precoce


Para o neuropediatra José Salomão Schwartzmann, agentes de saúde e pediatras precisam ser capacitados sobre os primeiros sinais do autismo, já que o diagnóstico precoce é fundamental para o sucesso do tratamento. “Observações simples de um pediatra já poderiam levantar suspeitas sobre o autismo, mas o nosso pediatra não tem informações sobre a doença.”

O mediador da lista virtual Autismo no Brasil, Argemiro Garcia, ressaltou que a informação sobre o autismo vai garantir o tratamento adequado e a inclusão social dos portadores. “Precisamos acabar com a ignorância e informar a todos sobre o autismo, para que o diagnóstico e o prognóstico sejam adequados. Somos um país que não tolera a prisão perpétua para o pior criminoso, mas que admite que uma pessoa, por ter deficiência, seja confinada pelo resto da vida”, destacou.

___________________

Fonte: Agência Câmara

Publicado em quinta-feira, junho 17th, 2010 - 15:53 e classificado em + NOTÍCIAS, Campanhas, Deficiência, INCLUSÃO.

http://www.inclusive.org.br/?p=16085

sábado, 17 de julho de 2010

Prof. Marcelo Clemente ministra palestra sobre Inclusão no Espaco Cultural IBEP


Dia 15 de julho, o Prof. Marcelo Clemente ministrou uma Palestra no Espaço Cultural da Companhia Editora Nacional - IBEP - Instituto Brasileiro de Edições Pedagógicas.
O tema abordado foi - Inclusão - Aspectos Éticos, Políticos e Educacionais. Preconceito, despreparo dos educadores, falta de acessibilidade nas escolas...foram assuntos abordados dentro da palestra, que contou com a participalção de vários educadores.
Partindo do texto de A.W. Adorno - Educação após Auschiwitz, o Prof. Marcelo destacou como o preconceito é uma mola propulsora da segregação social e da exclusão social e escolar. Como educadores precisamos vencer o preconceito, buscando construir um ambiente inclusivo na escola e na sociedade. O Prof. Marcelo destacou ainda a importância do debate do tema e do preparo dos educadores frente à essa nova realidade educacional.
Este e muitos outros temas são ministrados pelo Prof. Marcelo Clemente, em conferências, seminários e cursos de capacitação de educadores.
Veja - www.mrclemente.blogspot.com



No mês de agosto, o Prof. Marcelo Clemente, voltará a ministrar à convite do Espaço Cultural da Companhia Editora Nacional. Aguarde a divulgação da data e dos temas.


Conheça um pouco mais sobre a IBEP - Instituto Brasileiro de Edições Pedagógicas...

Companhia Editora Nacional: compromisso com a educação brasileira.

Administrando um vasto catálogo e implementando novos projetos nas áreas de paradidáticos, literatura e divulgação científica, com a intenção de fornecer subsídios para alimentar a comunidade de leitores brasileiros, a Companhia Editora Nacional relança algumas das obras mais importantes de seu acervo de literatura infanto-juvenil, além de novos livros que divertem e proporcionam às crianças o contato com textos de qualidade.

O catálogo da Companhia Editora Nacional destaca autores nacionais de renome, como Tatiana Belink, Josué Guimarães, Pedro Bloch, Moacyr Scliar, Guilherme de Almeida, Paulo Mendes Campos, e internacionais, como Jack London, Eleonor H. Porter, George Orwell, Carlo Collodi, Mark Twain, Rudyard Kipling, entre outros.

Best-sellers como Dona Benta - comer bem, o mais famoso livro de culinária brasileiro, Como fazer amigos e influenciar pessoas, de Dale Carnegie, com mais de 45 milhões de exemplares vendidos no mundo, e obras variadas que abordam temas relacionados à sociologia, à psicologia e às artes enriquecem o catálogo e encantam o público em geral.

Proporcionar às crianças, aos jovens e adultos condições para que se sintam parte de uma comunidade de leitores é um compromisso de cidadania.

Investir em educação é investir no Brasil.

O Espaço Cultural - IBEP, foi inaugurado em 31 de março de 2009. Destinado à professores, estudantes, crianças, pais, jornalistas e todos os que apreciam literatura, cultura e arte em geral.
São 500m² com uma programação diária e gratuita com entretenimento, cursos, palestras, espaço infantil, livraria, auditório, showroom, revistaria, espaço HQ e uma acolhedora cafeteria.




segunda-feira, 5 de julho de 2010

Curso gratuito de redação e gramática

O Redigir é projeto de extensão universitária da Escola de Comunicações e Artes que oferece curso gratuito de redação e gramática para jovens e adultos vindos de escola pública. O curso dura um semestre com aulas uma vez por semana. Os professores são estudantes e profissionais voluntários formados pela própria ECA, que lecionam sempre em dupla para turmas de no máximo 30 pessoas.

A proposta pedagógica do projeto consiste em aprimorar as ferramentas de comunicação dos alunos como um todo. Para tanto, são estimuladas suas capacidades de interpretação, reflexão e argumentação, através de aulas que contextualizam a Língua Portuguesa e o mundo ao seu redor. O objetivo do curso é apresentar a comunicação e a Língua Portuguesa como meio para o aluno exercer sua cidadania, criando a oportunidade de todos os membros ampliarem sua visão de mundo e participação na sociedade.

Inscrições

Podem se inscrever pessoas com mais de 16 anos que tenham concluído o ensino fundamental em escola pública. Para efetuar a inscrição é necessário comparecer no Departamento de Jornalismo e Editoração (CJE) com as cópias do RG, do comprovante de escolaridade e de renda de todos que trabalham na casa (holerite ou recibo de pagamento).

Mais informações: 3037-0618 e pelo e-mail projetoredigir@gmail.com

Datas das inscrições: 24, 25 e 26 de junho e 29, 30 e 31 de julho. Quintas e sextas das 9h às 20h; sábados das 9h às 13h.

Local: Departamento de Jornalismo e Editoração (CJE)
Av. Prof. Lúcio Martins Rodrigues, 443 - Cidade Universitária

segunda-feira, 31 de maio de 2010

Seminário: “Saúde e Mobilidade na cidade de São Paulo”

Este é o tema do II Seminário da série “Mobilidade e Transportes Sustentáveis”, que será realizado na próxima segunda-feira, dia 07 de junho, das 18h30 às 21h30, no Auditório Prestes Maia da Câmara Municipal de São Paulo.



Iniciativa do GT Mobilidade Urbana do Movimento Nossa São Paulo e a da Comissão de Trânsito, Transporte, Atividade Econômica, Turismo, Lazer e Gastronomia da Câmara Municipal de São Paulo , a série de seminários tem como objetivo construir uma agenda para a cidade envolvendo sociedade civil e poder público. O primeiro abordou os desafios da mobilidade em São Paulo e a avaliação dos indicadores técnicos. Este debaterá a relação entre transporte e saúde.

Os próximos, no segundo semestre, abordarão propostas vinculadas aos orçamentos municipal e estadual para um Plano Municipal de Mobilidade e Transporte Sustentáveis, e a experiência sobre mobilidade urbana na cidade de Bogotá.



Estão confirmados na mesa de debate:


Mara Gabrili, vereadora, representante da Comissão de Transportes da Câmara Municipal;

Paulo Saldiva, médico patologista, Professor Titular de Patologia da FMUSP, coordenador do Laboratório de Poluição Atmosférica da FMUSP;

Henry Joseph Junior , Presidente da Comissão de Energia e Meio Ambiente da ANFAVEA (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores);


Mauro Augusto Ribeiro, Presidente da ABRAMET (Associação Brasileira de Medicina de Tráfego) e


Tomaz Puga Leivas, Coordenador da Comissão de Projetos do Conselho Diretor do Instituto de Ortopedia e Traumatologia do Hospital das Clínicas da FMUSP.

Clarice Umbelino de Freitas, integrante do Programa VIGIAR - Vigilância da Qualidade do Ar e o Impacto na Saúde, da Coordenadoria de Vigilância em Saúde – COVISA, órgão da Secretaria Municipal da Saúde


Após a exposição dos debatedores, será aberta a palavra ao público.


Participe!


Serviço:

Seminário “Saúde e Mobilidade na cidade de São Paulo”

07/6, segunda-feira, das 18h30 às 21h30

Auditório Prestes Maia da Câmara Municipal de São Paulo – Vd Jacareí, 100, Centro



Este Seminário poderá ser acompanhado ao vivo pelo site da TV Câmara, www.tvcamarasp.com.br.



Dúvidas e sugestões podem ser enviadas para transito@camara.sp.gov.br.


Acompanhe também pelo Twitter: @dmsc_sp e @nossasaopaulo,

e pelo Ning do Dia Mundial Sem Carro: www.diamundialsemcarro.ning.com


Veja e divulgue o cartaz:

http://www.nossasaopaulo.org.br/portal/arquivos/cartaz_seminarios_mobilidade_camara2010.pdf


Agenda:


20/9 – Plano Municipal de Mobilidade e Transportes Sustentáveis

21/9 – A Experiência de Mobilidade da Cidade de Bogotá

8/11 – Orçamento da cidade de São Paulo e do Estado para as áreas de transportes e mobilidade urbana



Evento gratuito. Faça sua inscrição pelo e-mail: andrea@isps.org.br

sábado, 29 de maio de 2010

Mostra “Shoá, reflexões por um mundo mais tolerante”

Local: SESC Pompéia - Data: Até 4 de julho

A mostra chega à capital a partir da montagem de 2008, no Uruguai. Em sua primeira versão, Shoá, memória e legado do Holocausto, apresentada na cidade de Montevidéu, deu vida ao tema a partir da 2ª Guerra Mundial. Em São Paulo, a mostra conecta passado e presente estabelecendo um diálogo entre as diferenças culturais existentes no Brasil, ressaltando questões ligadas a direitos humanos e à tolerância.

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Sentar ao lado de um negro ?

Aconteceu numa viagem da Tam e é verídico !!!


Uma mulher branca, de aproximadamente 50 anos, chegou ao seu lugar
na classe econômica e viu que estava ao lado de um passageiro negro.

Visivelmente perturbada, chamou a comissária de bordo.

'Qual o problema, senhora?', pergunta uma comissária..

'Não está vendo?' - respondeu a senhora - 'vocês me colocaram ao lado de um negro. Não posso ficar aqui. Você precisa me dar outra cadeira'.

'Por favor, acalme-se' - disse a aeromoça - 'infelizmente, todos os lugares estão ocupados. Porém, vou ver se ainda temos algum disponível'.

A comissária se afasta e volta alguns minutos depois.

'Senhora, como eu disse, não há nenhum outro lugar livre na classe econômica.Falei com o comandante e ele confirmou que não temos mais nenhum lugar mesmo na classe econômica. Temos apenas um lugar na primeira classe'.

E antes que a mulher fizesse algum comentário, a comissária continua:

'Veja, é incomum que a nossa companhia permita à um passageiro da classe econômica se assentar na primeira classe.

Porém, tendo em vista as circunstâncias, o comandante pensa que seria escandaloso obrigar um passageiro a viajar ao lado de uma pessoa desagradável'.

E, dirigindo-se ao senhor negro, a comissária prosseguiu:

'Portanto senhor, caso queira, por favor, pegue a sua bagagem de mão, pois reservamos para o senhor um lugar na primeira classe...'

E todos os passageiros próximos, que, estupefatos assistiam à cena, começaram a aplaudir, alguns de pé.

Se você é contra o racismo, envie esta mensagens aos seus amigos, mas não a delete sem ter mandado pelo menos a uma pessoa.

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Pós-graduação em Tecnologia Assistiva tem inscrições abertas

Pós-graduação em Tecnologia Assistiva tem inscrições abertas

Encerram-se na semana que vem, em 2 de junho, as inscrições para o curso de pós-graduação lato sensu em Tecnologia Assistiva, oferecido pela ONG Mais Diferenças e pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais, em parceria com a Techno Care. As inscrições devem ser feitas na sede da Mais Diferenças, em São Paulo/SP, onde também serão as aulas.

A especialização tem por objetivo criar, produzir e pesquisar tecnologias, ações e políticas públicas para a vida independente e autônoma de pessoas com deficiência e em processo de envelhecimento.

Com coordenação geral da Profa. Dra. Maria Aparecida Ferreira de Mello — Doutora em Ciências na Unifesp, Universidade Federal de São Paulo, e Especialista e Mestre em Tecnologia Assistiva pela University of New York at Buffalo, nos Estados Unidos —, o curso tem carga horária de 432 horas (sendo 32 horas de visitas técnicas e 60 horas de desenvolvimento de projeto de pesquisa).

As aulas serão aos finais de semana, uma vez por mês, sendo: às sextas-feiras das 18h às 22h; aos sábados das 8h às 18h; aos domingos das 8h às 13 horas. O início do curso será em 18 de junho. A taxa de matrícula é de R$ 120.

Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (11) 3881-4610, com Nana ou Ana Rosa, e também pelos e-mails nana@md.org.br e anarosa@md.org.br. A Mais Diferenças fica na Rua João Moura, 1453 – Pinheiros, São Paulo/SP.

Sobre a Mais Diferenças

A Mais Diferenças é uma OSCIP, que tem como missão construir, articular, promover e implementar práticas e políticas inclusivas, com os diversos setores da sociedade, para garantir os direitos humanos, prioritariamente das pessoas com deficiência. A ONG busca a realização e ampliação do potencial de cada um, através da produção e elaboração coletivas de saberes e práticas, da equiparação de oportunidades e da construção da autonomia, valorizando as múltiplas formas de ser e estar no mundo.

Site: www.md.org.br

Sobre a Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais

A Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais - FCMMG avança com a estratégia de aliar sua experiência, acumulada em mais de cinco décadas de ensino e pesquisa, à postura inovadora exigida pelo atual contexto da educação e da tecnologia na área da saúde. Segunda mais antiga de Minas Gerais, a Escola de Medicina é reconhecida entre as mais prestigiadas do País, excelência que se estende aos também pioneiros no Estado cursos de graduação em Fisioterapia e Terapia Ocupacional, além daqueles referentes à pós-graduação e à educação a distância.

Site: http://www.fcmmg.br/

Sobre a Techno Care

A Technocare Engenharia Clínica é a primeira empresa de Santa Catarina totalmente voltada para a Gestão de Tecnologia Médico-Hospitalar. Foi fundada em 2003, e desde então tem se destacado no mercado. Nossa especialização é a prestação de serviços em Engenharia Clínica. Nossa empresa dispõe de profissionais altamente qualificados, formada por Engenheiros Clínicos, para apoio à decisão e solução de problemas que envolvem o ambiente hospitalar e os equipamentos.

Site: http://www.technocare.com.br/

Seminário - Reciclagem: metodologias sustentáveis para os resíduos e a inclusão social.

Início: 28/05/2010 - 10:00
Fim: 28/05/2010 - 17:00
Contato:
Telefone: (11) 3396-4063 / e-mail: marciachaves@camara.sp.gov.br ou emiliacamara@yahoo.com.br


Data: 28 de maio de 10

Horário: 10 às 17 horas

Local: Câmara Municipal de São Paulo

Viaduto Jacareí, 100 - 1º andar - Auditório

Prestes Maia - Bela Vista

No mundo inteiro é um problema crescente o manejo de resíduos urbanos e industriais. Mas há solução para esta crise, com a implementação de estratégias para o consumo consciente, a reutilização e a reciclagem podemos mudar este paradigma. Para contribuir com novas reflexões sobre uma gestão socioambiental sustentável dos resíduos sólidos nós, parlamentares, em parceria com instituições da sociedade civil organizamos este evento.

Informações Programação

Organização

10h – Abertura

Saudações aos participantes

• Prefeito Gilberto Kassab;

• Vereadores Ítalo Cardoso, Chico Macena e Juliana Cardoso;

• Deputado Estadual Adriano Diogo;

• Secretaria Municipal de Serviços: Alexandre de Moraes;

• Secretaria Municipal do Verde e Meio Ambiente: Eduardo Jorge;

• Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis: Roberto Laureano da Rocha;

• Movimento Nacional da População de Rua: Anderson Lopes Miranda.

10h30 às 11h30 – Mesa Redonda- Propostas e Possibilidades

Coleta seletiva como política pública

Silvia Regina da Costa Gonçalves

Médica Veterinária, mestre em Patologia Animal

pela Universidade Federal Fluminense, técnica

especializada do Ministério do Meio Ambiente,

secretária de Recursos Hídricos e Ambiente Urbano,

atua no Ministério com temas ligados à gestão de

resíduos sólidos urbanos e inclusão social de catadores

de materiais recicláveis.

Emissões de gases efeito estufa pelo tratamento de resíduos sólidos urbanos

Sônia Vieira

Mestre em Bioquímica pela Universidade de Paris

VII, doutora em Saúde Ambiental pela Faculdade

de Saúde Pública da USP, consultora ambiental e

integrante do Painel Intergovernamental de

Mudança Climática (IPCC)

11h30 às 12h30 – Debate

12h30 às 14 horas – Almoço

14 às 16 horas – Mesa Redonda – Propostas e Possibilidades

Os catadores e catadoras na coleta seletiva

Luzia Maria Honorato

Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis

Anderson Lopes Miranda

Movimento Nacional da População de Rua

Recuperação de resíduos. A biodigestão anaeróbica de resíduos urbanos: um panorama tecnológico atual

Fernando Luciano Merli do Amaral

Bacharel em Física pelo IF da USP, mestre em Tecnologia Ambiental pelo IPT, consultor ambiental, professor e palestrante.

Os impactos sociais da incineração

Jutta Gutberlet

Professora da Universidade de Victoria (Canadá), pesquisadora, especialista e doutora em Geografia. Projeto de Coleta Seletiva Brasil-Canadá.

16 às 17 horas – Debate e Encaminhamentos

Organização

· Comissão de Direitos Humanos da Câmara Municipal de São Paulo

· Mandatos dos vereadores Ítalo Cardoso, Chico Macena e Juliana Cardoso e do Deputado Estadual Adriano Diogo

· Observatório Ambiental

· Fórum Lixo e Cidadania da Cidade de São Paulo

· Projeto de Coleta Seletiva Brasil-Canadá

· Movimento Nossa São Paulo

· Instituto Pólis

· Centro Gaspar Garcia de Direitos Humanos

· Repisa-Rede de Pesquisa e Interação Socioambiental

· Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis

· Movimento Nacional da População de Rua

Gabinete do Vereador Ítalo Cardoso

Câmara Municipal de São Paulo

Viaduto Jacareí, 100 – 3º andar – sala 307

Telefone: (11) 3396-4063

e-mail: marciachaves@camara.sp.gov.br

emiliacamara@yahoo.com.br

domingo, 23 de maio de 2010

Encontro "Saúde Mental e Educação: As iniciativas da escola"

Promover o encontro de professores e profissionais da saúde mental para que possam conhecer e discutir as propostas da aproximação entre a Saúde Mental e a Educação, que a Secretaria de Educação do Estado de São Paulo e a Secretaria Municipal de Educação do município de São Paulo, tem para os processos de inclusão, dificuldades de aprendizagem e socialização do escolar; auxiliar na construção do conhecimento interdisciplinar do profissional que atua junto à criança e adolescente; ampliar um campo da discussão que vai muito além dos corredores da escola e dos consultórios são os objetivos do Encontro "Saúde Mental e Educação: As iniciativas da escola", que será promovido pelo Laboratório de Saúde Mental Coletiva/Lasamec – Departamento de Saúde Materno-Infantil da Faculdade de Saúde Pública (FSP) da USP.

Data: 28/05/2010 das 8h30 às 12h.
Local: FSP/USP - Av. Arnaldo, 715

# Não será permitido utilizar o estacionamento da FSP/USP


# Será emitido certificado


As inscrições podem ser feitas no site da Faculdade de Saúde Pública da USP.

Mais informações pelo Fone: 3081-9001

sábado, 22 de maio de 2010

Desenvolvendo as múltiplas inteligências a partir da leitura de uma obra de arte

Público-alvo: Professores do ensino fundamental I e demais interessados

Objetivo: Despertar na criança, de forma lúdica, as linguagens da arte e inteligências múltiplas a partir do olhar e leitura de imagem; envolver o aluno no ato da crítica tornando-o consciente na formulação de conceitos e percepções

Conteúdo: A história da Arte a partir da observação de obras da pré- história até a Arte contemporânea; Gardner e as múltiplas inteligências; leitura de uma obra do artista Velásques abordando aspectos das artes visuais,música e dança

Professores: Ana Cláudia Bordini , Claudia Maria Teixeira
Ana Cláudia Bordini - Graduada em Programação Visual, desenho industrial; arte-educadora; artística plástica; elabora e ministra cursos e palestras para professores
Claudia Maria Teixeira - Pós-graduada em dança, arte educadora, ex bailarina clássica (Escola Municipal de Bailado), coordenadora de eventos, elabora e ministra cursos e palestras para professores e coordenadores

Período: 31 de maio; 7 de junho, das 19h às 22h

Carga horária: 6 horas

Número de vagas: 20

Preço: sindicalizados - R$ 36.00 | não-sindicalizados - R$ 72.00

Funcionários de Hospital Municipal recebem aulas de Libras

Curso integra projeto Saúde da Mulher com Deficiência e visa aperfeiçoar atendimento a pacientes surdas.

Funcionários e corpo clínico do Hospital Municipal Vila Nova Cachoeirinha começaram a receber nesta segunda-feira (3/05) as primeiras aulas do curso de Libras – Língua de Sinais Brasileira – utilizada para facilitar a comunicação com pacientes surdas.

O curso faz parte das ações previstas no projeto Saúde da Mulher com Deficiência e terá duração de três meses ou 32 aulas e haverá turmas formadas pela equipe de acolhimento (recepcionistas, seguranças etc), de enfermagem e de médicos.

“A dificuldade de comunicação com a pessoa com deficiência auditiva é uma das barreiras iniciais para um atendimento adequado e bem-sucedido. Por isso, o treinamento básico em Libras é fundamental para o andamento do projeto”, afirma Marcos Belizário, secretário municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida.

Piloto

O Hospital Municipal Maternidade-Escola de Vila Cachoeirinha foi escolhido para receber o projeto piloto e, desde o início de março, passou a contar com dez mesas especiais para exames ginecológicos, um mamógrafo que permite a realização do exame sem que a paciente precise sair da cadeira de rodas, 12 leitos que mudam de altura por comando eletrônico e seis lifters para transferência de paciente para o leito.

O projeto teve um aporte de R$ 250 mil da Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida (SMPED) e um de seus objetivos é ser pioneiro na geração de conhecimento em um campo de estudo ainda pouco explorado dentro e fora do país: a sexualidade e a saúde geral da mulher com deficiência.

Depois da unidade de Cachoeirinha, o projeto completo – equipamentos, manual e treinamento – será levado a outros hospitais da rede municipal.

Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida (SMPED)
Assessoria de Comunicação e Imprensa
Tel.: (011) 3113-8741 // 8778 // 8767 // 8793 // 8794 // 8741
Cel.: 9951-4983 // 8875-9732
lclopes@prefeitura.sp.gov.br / lincolnsilva@prefeitura.sp.gov.br

Campanha: SMPED inicia a distribuição do talão de Multa Moral

A Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida - SMPED iniciou a distribuição do Talão de Multa Moral nos Shopping Centers e nas 31 subprefeituras da Capital.

A Multa Moral alertará os motoristas que utilizarem indevidamente as vagas de estacionamento reservadas às pessoas com deficiência nos shopping centers, hipermercados e demais estabelecimentos comerciais.

Além de alertar que o condutor do veículo está numa vaga exclusiva, a Multa Moral lembra o infrator que os habituais “5 minutinhos” ocupando a vaga podem acarretar diversos transtornos a quem realmente tem direito de utilizá-la.

Essa iniciativa faz parte do acordo firmado entre a Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida, o Ministério Público Estadual (MPE) e diversos shopping centers da Capital que assinaram, em setembro deste ano, Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), comprometendo-se a fiscalizar o uso das vagas de estacionamento reservadas a pessoas com deficiência e mobilidade reduzida.

Por parte da Prefeitura, além de fiscalizar e autuar os estabelecimentos que não estiverem de acordo com as normas de acessibilidade e a legislação vigente, coube também o papel de sensibilizar e orientar a população por meio de campanhas educativas em parceria com os shoppings. Essas iniciativas já estão sendo implantadas pela SMPED que, além da Multa Moral, está promovendo o curso “Sem Barreiras no Atendimento”, inicialmente para os funcionários dos shoppings que aderiram ao TAC e já iniciou um cronograma de visitas aos estabelecimentos comerciais que não assinaram o termo.

A fiscalização aos shopping centers signatários do TAC será feita pelo MPE, Prefeitura de São Paulo, por meio da SMPED e Subprefeituras, bem como pela própria população, que pode encaminhar denúncias à Promotoria de Justiça de Direitos Humanos – Área de Pessoas com Deficiência, localizada à Rua Riachuelo, nº 115 – tel. 3119-9054.

Pelo acordo com o MPE, 50% das vagas de estacionamento reservadas às pessoas com deficiência devem ser cercadas e funcionários devem estar disponíveis para prestar informações sobre localização e liberar essas vagas em, no máximo, 15 minutos.

É importante lembrar que mesmo os veículos de pessoas com deficiência devem possuir o Cartão DeFis – DSV, que é uma orientação especial, gratuita, para o estacionamento de veículos em via pública, zona azul e vagas em estabelecimentos públicos e privados demarcadas com o Símbolo Universal de Acessibilidade.


Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida (SMPED)
Assessoria de Comunicação e Imprensa
Tel.: (11) 3113-8778 // 8767 // 8793 // 8794 // 8741

Cartão do Idoso

Autorização especial para estacionamento em vagas sinalizadas com a legenda “IDOSO”.

O que é Cartão Idoso?
É uma Autorização Especial para o estacionamento de veículos, conduzidos por idosos ou que os transportem, nas vias e logradouros públicos, em vagas especiais devidamente sinalizadas para este fim.

Nas vagas especiais, em área de estacionamento rotativo pago Zona Azul, além do Cartão Idoso, o usuário deverá utilizar também o Cartão Zona Azul.

O benefício foi regulamentado pela Portaria SMT.GAB nº 017/10, de 13/03/10.

Quem tem direito ao Cartão Idoso?
As pessoas com idade igual ou superior a 60 (sessenta) anos, condutoras ou passageiras de veículos automotores e residentes no Município de São Paulo.

Como solicitar o Cartão Idoso?
O SUAE - Sistema Unificado de Autorizações Especiais é o sistema de informação que emite o cartão do Idoso. Se for seu primeiro acesso, entenda passo a passo como deverá proceder para solicitar o cartão:

1. Fazer seu cadastro como Requerente – para acessar o SUAE, é necessário fazer seu cadastrado como “Requerente” (pessoa física que deseja requerer alguma autorização especial ao DSV);

2. Acessar o sistema – os dois últimos dados solicitados no cadastro do requerente são obrigatórios para acessar o sistema:

a. Usuário – dado que identifica cada requerente no sistema SUAE. Informe o seu CPF para este campo ou qualquer outro dado que sirva para sua identificação.

b. Senha - A senha deverá ter no mínimo quatro e no máximo oito caracteres.

c. Atenção, pois serão consideradas na validação da digitação do usuário e senha, as letras maiúsculas e minúsculas.

3. Solicitar Novo Requerimento de Idoso – somente um requerimento por requerente (Idoso) será possível ser cadastrado e duas condições serão verificadas:


a. Requerente (Idoso) deverá residir no município de São Paulo;

b. Requerente deverá possuir idade mínima de 60 (sessenta) anos, através da data de nascimento informada no seu cadastro.


4. Acompanhar a situação do seu requerimento pelo sistema – a qualquer momento o requerente poderá consultar o status atual do seu requerimento pelo próprio sistema, clicando na opção “Consultar Requerimentos”;

Encaminhar o protocolo impresso e assinado juntamente com cópias do R.G., CPF e comprovante de residência, via correios para a Caixa Postal 11.400 ou para o DSV-AE - Rua Sumidouro, 740 – Pinheiros, no prazo máximo de 15 dias.

Observação:

* O preenchimento e entrega do requerimento não implica na aceitação e emissão do Cartão do Idoso;

* O não encaminhamento do protocolo e documentos no prazo de 15 dias implicará no cancelamento automático do seu requerimento


5. Se o requerimento for “Deferido”, após 10 dias do deferimento você ou um representante legal poderá retirar o cartão no DSV-AE - Rua Sumidouro, 740 – Pinheiros.

O cartão pode ser retirado por uma outra pessoa?
Sim. Para retirar o cartão o representante legal deverá apresentar cópias simples do RG ou CNH, da Procuração, Curatela ou Tutela, dos documentos do requerente e do requerimento.

Dúvidas: ligue 156

O que é preciso observar no uso diário do cartão?
Além das regras de trânsito vigentes e daquelas estabelecidas pela sinalização local, deverão ser respeitadas rigorosamente as “Regras de Utilização” contidas no verso do Cartão Idoso.

O Cartão Idoso emitido pelo DSV-AE poderá ser utilizado como referência para estabelecimentos particulares, que reservem vaga específica de estacionamento para pessoas idosas.

Prefeitura amplia número de pontos de atendimento da Central de Libras, Intérpretes e Guias-Intérpretes - CELIG

Já são 20 (vinte) pontos à disposição do público

Desde o dia 26 de abril, a Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida (SMPED) vem promovendo, nas praças de atendimento de todas as subprefeturas da cidade, a instalação de terminais de computador e webcam para que o cidadão surdo possa conversar à distância, pelo monitor, com intérpretes da Língua Brasileira de Sinais (Libras) para consultar os serviços públicos oferecidos pela Prefeitura de São Paulo. Trata-se da Central de Libras, Intérpretes e Guia-Intérpretes – CELIG.

Os intérpretes facilitam o contato entre o munícipe surdo ou com deficiência auditiva e o atendente presente no local, e também podem transmitir todas as informações hoje só disponíveis ao público ouvinte pelo telefone 156. Durante o ano de 2010, a CELIG chegará a todas as 31 subprefeituras e, gradualmente, a outras unidades do serviço público municipal, com prioridade para hospitais e unidades da rede de saúde.

No projeto piloto, lançado em dezembro de 2009, foram instalados terminais nas Praças de Atendimento das subprefeituras da Sé, Mooca e Lapa. O serviço também está disponível no Conselho Municipal da Pessoa com Deficiência – CMPD, à rua Líbero Badaró 119 – 3º andar / Centro. Em todos os locais o atendimento é oferecido das 8h às 17h.

No futuro, será possível agendar um guia-intérprete para acompanhar surdocegos no atendimento em órgãos públicos municipais. Ainda não é viável acessar o serviço a partir das residências.

SERVIÇO:

Pontos de atendimento da Central de Libras – CELIG em operação até o momento:

- Conselho Municipal da Pessoa com Deficiência - CMPD
Endereço: Rua Líbero Badaró 119 – 3º andar / Centro

- Subprefeitura da Sé
Endereço: Rua Álvares Penteado, 49 – Centro.

- Subprefeitura da Lapa
Endereço: Rua Guaicurus, 1000

- Subprefeitura da Mooca
Endereço: Rua Taquari, 549

- Subprefeitura da Penha
Endereço: Rua Candapuí, 492

- Subprefeitura de Ermelino Matarazzo
Endereço: Avenida São Miguel, 5550

- Subprefeitura de São Miguel Paulista
Endereço: Rua Ana Flora Pinheiro de Sousa, 76

- Subprefeitura de Itaim Paulista
Endereço: Avenida Marechal Tito, 3.012 – Vila Curuçá

- Subprefeitura do Ipiranga
Endereço: Rua Lino Coutinho, 444

- Subprefeitura da Vila Mariana
Endereço: Rua José de Magalhães, 500

- Subprefeitura do Butantã
Endereço: Rua Ulpiano da Costa Manso, 201

- Subprefeitura de Pinheiros
Endereço: Avenida Nações Unidas, 7123

- Subprefeitura de Santana / Tucuruvi
Endereço: Avenida Tucuruvi, 808

- Subprefeitura do Jaçanã / Tremembé
Endereço: Avenida Luis Stamatis, 300

- Subprefeitura de Vila Maria / Vila Guilherme
Endereço: Rua General Mendes, 111

- Subprefeitura de Guaianases
Endereço: Estrada Itaquera-Guaianases, 2565

- Subprefeitura Casa Verde
Endereço: Avenida Ordem e Progresso, 1001

- Subprefeitura Freguesia do Ó / Brasilândia
Endereço: Avenida João Marcelino Branco, 95

- Subprefeitura Perus
Endereço: Rua Ylídio Figueiredo, 349

- Subprefeitura Jabaquara
Endereço: Avenida Eng.º Armando de Arruda Pereira, 2314

Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida (SMPED)
Assessoria de Comunicação e Imprensa
Tel.: (011) 3113-8741 // 8778 // 8767 // 8793 // 8794 // 8741
Cel.: 9951-4983 // 8875-9732
lclopes@prefeitura.sp.gov.br / lincolnsilva@prefeitura.sp.gov.br

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Sistema permite movimento de membro superior em tetraplégicos.

Por Felipe Maeda Camargo - felipe.maeda.camargo@usp.br


Na Escola de Engenharia de São Carlos (EESC) da USP, pesquisadores desenvolveram um sistema híbrido para membros superiores (braço, antebraço e mãos) que auxilia as atividades motoras de pessoas tetraplégicas. O equipamento permite que o paciente alcance objetos distantes do corpo por comandos de voz.
Sistema híbrido contém uma órtese para cotovelo, eletrodos e uma luva

Renato Varoto, pesquisador da EESC, explica que o diferencial desse sistema foi a combinação de técnicas. “A mecânica, que inclui a órtese e que possibilita movimentos de flexão e extensão do cotovelo; e uma técnica não convencional, que é a estimulação elétrica neuromuscular, que possibilita os movimentos da mão.”

O sistema foi desenvolvido por Varoto durante sua tese de doutorado pela EESC, sob a orientação do professor Alberto Cliquet Júnior, do Departamento de Engenharia Elétrica da Escola. O protótipo é constituído de uma órtese dinâmica para cotovelo, que funciona como um exoesqueleto, eletrodos de superfície que vão nas mãos e uma luva que contém sensores para indicar ao paciente a força aplicada.



Esses equipamentos são as partes mecânicas e eletrônicas e são coordenados por voz. “Com o comando de voz, cinco palavras são gravadas de acordo com o gosto do paciente: uma para estender o braço, uma para flexão do cotovelo, uma para parar o movimento, uma para pegar o objeto e uma para soltar o objeto. Se for preciso, é possível controlar o nível de estimulação para o movimento da mão e a velocidade da órtese do cotovelo, cada uma com duas palavras”, descreve Varoto.

Segundo o pesquisador, o sistema é indicado para tetraplégicos que possuem movimentos somente do pescoço e do ombro. Desse modo, o comando de voz é essencial para que os tetraplégicos realizem os movimentos voluntariamente.

Testes Clínicos
O trabalho de Varoto foi testado em 15 pacientes do Hospital das Clínicas da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), em março e abril desta ano. O pesquisador ressalta que “o que chama a atenção é o auxílio que o sistema pode trazer aos tetraplégicos”.

Nos testes clínicos, os pacientes conseguiram exercer atividades que fazem alusão às atividades de beber água e se alimentar. “São atividades simples para nós, mas para os pacientes, que perderam quase todos os movimentos do corpo, traz uma grande satisfação a esperança de poder fazê-las”, diz Varoto.

Nos testes clínicos, os pacientes conseguiam simular atividades como beber água. A imagem mostra, em sequência, um paciente usando o sistema para levar um copo até a boca

O pesquisador pretende continuar as aplicações com os pacientes. O próximo passo é aplicar uma terapia assistida por robô. Nele, o paciente faz uma série de movimentos repetitivos com o sistema, só que, ao invés de ser um fisioterapeuta que o auxilia nas atividades, é um robô que exerce essa função.

O objetivo da terapia é tentar fazer o tetraplégico ganhar movimentos naturais com método artificial. Varoto explica como isso pode acontecer pelo conceito de neuroplasticidade. “Quando um paciente apresenta paralisia e começa a fazer movimentos repetitivos com a ajuda de aparelhos, ele pode reaprender, ainda que não totalmente, alguns movimentos. O que pode acontecer em termos biológicos é que há um rearranjo dos neurônios no sistema nervoso central.”

O pesquisador ressalva que ainda há alguns aspectos do sistema que precisam ser aperfeiçoados: “O sistema pode ser mais leve e pode melhorar esteticamente. Quanto mais atender as expectativas do paciente melhor”.

Imagens fornecidas por Renato Varoto

quinta-feira, 13 de maio de 2010

23ª Audiência de Sustentabilidade para "Inserção e Valorização da Pessoa com Deficiência"

Sabesp faz Audiência de Sustentabilidade sobre inclusão

Jaqueline Lasko - 12/05/2010

Na próxima segunda-feira, 31 de maio de 2010, a Sabesp - Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo – realizará encontro sobre “Inserção e Valorização da Pessoa com Deficiência” a fim de divulgar projetos ecológicos, sociais, culturais, científicos, educacionais, esportivos e artísticos em defesa da sustentabilidade.

Atualmente, no Brasil, há em torno de 30 milhões de portadores de necessidades especiais que, para conseguir ultrapassar limitações e preconceitos, necessitam de apoio das empresas, da sociedade e do governo. Reconhecendo que ainda há muito a fazer para oferecer condições adequadas e melhorar a acessibilidade para estas pessoas, a audiência, gratuita, terá como propósito discutir tópicos que favoreçam essas questões. Afinal, mesmo com o reconhecimento da Lei Federal 8.213/91 (que assegura 5% de cota preferencial efetiva em grandes empresas) e a NBR 9050/04 (que estabelece um ambiente de trabalho agradável, no qual o portador se movimentar sem restrições e obter segurança e conforto), boas iniciativas são sempre relevantes, já que a questão afeta toda sociedade.

No dia da 23ª. Audiência da Sustentabilidade, serão distribuídos exemplares do livro Manual da Convivência ou Desenho Universal, da Vereadora Mara Gabrilli, aos 200 primeiros participantes que chegarem ao local. Também será realizado sorteio de 20 exemplares do novo livro Vai Encarar? – A Nação (quase) Invisível de Pessoas com Deficiência, da jornalista Cláudia Matarazzo.

23ª Audiência de Sustentabilidade Inserção e Valorização da Pessoa com Deficiência
Rua Kenkiti Simomoto, 80
Bairro do Jaraguá, São Paulo/SP
Horário: 14h às 16h30
Entrada gratuita/Não há necessidade de inscrição prévia

Clique na imagem para ampliá-la.

quinta-feira, 6 de maio de 2010

Pós-graduação em Tecnologia Assistiva tem inscrições abertas.

A ONG Mais Diferenças e a Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais, em parceria com a Techno Care, abrem inscrições para o curso de pós-graduação lato sensu em Tecnologia Assistiva. As inscrições vão até o dia 2 de junho e devem ser feitas na sede da Mais Diferenças, em São Paulo/SP, onde também serão as aulas.
A especialização tem por objetivo criar, produzir e pesquisar tecnologias, ações e políticas públicas para a vida independente e autônoma de pessoas com deficiência e em processo de envelhecimento.
Com coordenação geral da Profa. Dra. Maria Aparecida Ferreira de Mello — Doutora em Ciências na Unifesp, Universidade Federal de São Paulo, e Especialista e Mestre em Tecnologia Assistiva pela University of New York at Buffalo, nos Estados Unidos —, o curso tem carga horária de 432 horas (sendo 32 horas de visitas técnicas e 60 horas de desenvolvimento de projeto de pesquisa).
As aulas serão aos finais de semana, uma vez por mês, sendo: às sextas-feiras das 18h às 22h; aos sábados das 8h às 18h; aos domingos das 8h às 13 horas. O início do curso será em 18 de junho. A taxa de matrícula é de R$ 120.
Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (11) 3881-4610, com Nana ou Ana Rosa, e também pelos e-mails nana@md.org.br e anarosa@md.org.br. A Mais Diferenças fica na Rua João Moura, 1453 – Pinheiros, São Paulo/SP.
Sobre a Mais Diferenças
A Mais Diferenças é uma OSCIP, que tem como missão construir, articular, promover e implementar práticas e políticas inclusivas, com os diversos setores da sociedade, para garantir os direitos humanos, prioritariamente das pessoas com deficiência. A ONG busca a realização e ampliação do potencial de cada um, através da produção e elaboração coletivas de saberes e práticas, da equiparação de oportunidades e da construção da autonomia, valorizando as múltiplas formas de ser e estar no mundo.
Site: www.md.org.br
Sobre a Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais
A Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais - FCMMG avança com a estratégia de aliar sua experiência, acumulada em mais de cinco décadas de ensino e pesquisa, à postura inovadora exigida pelo atual contexto da educação e da tecnologia na área da saúde. Segunda mais antiga de Minas Gerais, a Escola de Medicina é reconhecida entre as mais prestigiadas do País, excelência que se estende aos também pioneiros no Estado cursos de graduação em Fisioterapia e Terapia Ocupacional, além daqueles referentes à pós-graduação e à educação a distância.
Site: http://www.fcmmg.br/
Sobre a Techno Care
A Technocare Engenharia Clínica é a primeira empresa de Santa Catarina totalmente voltada para a Gestão de Tecnologia Médico-Hospitalar. Foi fundada em 2003, e desde então tem se destacado no mercado. Nossa especialização é a prestação de serviços em Engenharia Clínica. Nossa empresa dispõe de profissionais altamente qualificados, formada por Engenheiros Clínicos, para apoio à decisão e solução de problemas que envolvem o ambiente hospitalar e os equipamentos.
Site: http://www.technocare.com.br/

XI JORNADA SALESIANA DE SEXUALIDADE.

Dia 15/05

Local: Campus Santa Teresinha - São Paulo
Auditório: Paschual Chaves – 4° andar

MASCULINIDADES
heteros – homos – metros – retros – über ... sexuais
POBRES SUPER-HOMENS!!!


.: PROGRAMAÇÃO :.

• 09h00 - Abertura

• 09h10 - Conferência: OS PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E RECONSTRUÇÃO DO MASCULINO
Sérgio Barbosa e Leandro Feitosa Andrade
(Coletivo Feminista – Sexualidade e Saúde / Rede de Homens pela Equidade de Gênero)

• 11h30 - Almoço

• 13h00 - Temas-livres: MÚLTIPLAS MASCULINIDADES

• 14h30 - Mesa-redonda: MASCULINIDADES EM MUDANÇA

Homens-família-trabalho
Arlene Maritnez Ricoldi (Fundação Carlos Chagas)

Homens-orientação sexual-diversidade
Gabriel de Oliveira Rodrigues (USP)

Homens-gênero-sociedade
Sandra Gouretti Unbehaum (ECOS – Comunicação em Sexualidade)

Homens-crises-mudanças
Francisco Maciel Silveira Filho (Mackenzie)

• 16h30 - Encerramento POBRE SUPER-HOMEM
Ronaldo Zacharias (UNISAL)

Mais Informações e Inscrições _ http://www.st.unisal.br/jornada/inscricao.asp

* Para o recebimento do certificado de participação será cobrada uma taxa de R$ 5,00 por pessoa

Local:
São Paulo - São Paulo / Santa Teresinha
Rua Augusto Tolle, 575 - - Santa Teresinha - São Paulo / SP
Secretaria: (11)2971-6900 Ramal: 218

quarta-feira, 5 de maio de 2010

III JORNADA DE PSICOLOGIA SÓCIO-HISTÓRICA

III JORNADA DE PSICOLOGIA SÓCIO-HISTÓRICA DA PUC-SP

“SUBJETIVIDADE, SOCIEDADE E CULTURA: A Leitura Sócio-Histórica e suas Intervenções”



26/05/2010 no Tucarena / PUCSP

(Rua Bartira esquina com a Rua Monte Alegre, 1024)

Das 09h às 18h



PROGRAMAÇÃO:



09h às 09h30: Abertura

09h30 às 12h30: Conferência de abertura: Profa. Dra. Silvia Borelli (Antropóloga - PUC-SP)

Debatedor - Prof. Dr. Marcus Vinicius de Oliveira (Psicólogo - UFBA)

14h às 16h30: Apresentação de Trabalhos como Comunicação Oral e Discussão em Grupo

16h às 18h: Reunião Geral de Fechamento



Inscrições de trabalho até 03 de maio de 2010 pelo site:

www.pucsp.br/eventos/subjetividade_sociedade



Inscrições para ouvintes, apenas no local (26/05)



Informações pelo e-mail:

sociohistorica@pucsp.brEste endereço de e-mail está sendo protegido de spam, você precisa de Javascript habilitado para vê-lo



.: NÃO É COBRADA TAXA PARA INSCRIÇÃO

PROMOÇÃO: Equipe de Psicologia Sócio-Histórica da Faculdade de Ciências Humanas e da Saúde da PUCSP

APOIO: Curso de Psicologia da Faculdade de Ciências Humanas e da Saúde; Programas de Estudos Pós-graduados em Psicologia Social ; Psicologia Clínica e Psicologia da Educação PUCSP

Associação para crianças e adolescentes com Câncer.

Clique na imagem para ampliar.

LEI Nº 9.394, DE 20 DE DEZEMBRO DE 1996.

CAPÍTULO V

DA EDUCAÇÃO ESPECIAL

Art. 58. Entende-se por educação especial, para os efeitos desta Lei, a modalidade de educação escolar, oferecida preferencialmente na rede regular de ensino, para educandos portadores de necessidades especiais.

§ 1º Haverá, quando necessário, serviços de apoio especializado, na escola regular, para atender às peculiaridades da clientela de educação especial.

§ 2º O atendimento educacional será feito em classes, escolas ou serviços especializados, sempre que, em função das condições específicas dos alunos, não for possível a sua integração nas classes comuns de ensino regular.

§ 3º A oferta de educação especial, dever constitucional do Estado, tem início na faixa etária de zero a seis anos, durante a educação infantil.

Art. 59. Os sistemas de ensino assegurarão aos educandos com necessidades especiais:

I - currículos, métodos, técnicas, recursos educativos e organização específicos, para atender às suas necessidades;

II - terminalidade específica para aqueles que não puderem atingir o nível exigido para a conclusão do ensino fundamental, em virtude de suas deficiências, e aceleração para concluir em menor tempo o programa escolar para os superdotados;

III - professores com especialização adequada em nível médio ou superior, para atendimento especializado, bem como professores do ensino regular capacitados para a integração desses educandos nas classes comuns;

IV - educação especial para o trabalho, visando a sua efetiva integração na vida em sociedade, inclusive condições adequadas para os que não revelarem capacidade de inserção no trabalho competitivo, mediante articulação com os órgãos oficiais afins, bem como para aqueles que apresentam uma habilidade superior nas áreas artística, intelectual ou psicomotora;

V - acesso igualitário aos benefícios dos programas sociais suplementares disponíveis para o respectivo nível do ensino regular.

Art. 60. Os órgãos normativos dos sistemas de ensino estabelecerão critérios de caracterização das instituições privadas sem fins lucrativos, especializadas e com atuação exclusiva em educação especial, para fins de apoio técnico e financeiro pelo Poder Público.

Parágrafo único. O Poder Público adotará, como alternativa preferencial, a ampliação do atendimento aos educandos com necessidades especiais na própria rede pública regular de ensino, independentemente do apoio às instituições previstas neste artigo.

sábado, 24 de abril de 2010

Anne Frank é tema de exposição em São Paulo

Anne Frank é tema de exposição em São Paulo


Publicação: sexta, 23 de abril de 2010



A exposição Anne Frank, uma história para hoje, que já percorreu mais de 50 países desde 1996, está em cartaz no Hotel Feller Paulista. A mostra é composta por 30 painéis com documentos, textos, cartas e fotografias e conta a amargura da família Frank sob o jugo nazista. O evento está aberto para visitação, das 9h às 21h, até o dia 2 de maio.

Serviço

Endereço: Rua São Carlos do Pinhal, 200.
Data: De 21 de abril a 2 de maio.
Horário: Das 9h às 21h.
Mais informações: (11) 3016-7500.

domingo, 18 de abril de 2010

escolas da rede pública que vão participar do programa Um Computador por Aluno (UCA) começam a receber os laptops.

A partir deste mês abril (2010), as 300 escolas da rede pública que vão participar do programa Um Computador por Aluno (UCA) começam a receber os laptops. No primeiro lote serão distribuídos 33.765 máquinas para 85 escolas em dez estados até 13 de maio. De acordo com o Ministério da Educação (MEC), até o final de 2010 serão entregues 150 mil computadores.

As escolas participantes do programa foram escolhidas pelas secretarias estaduais de educação e pela União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime). Cada uma delas deve definir, de acordo com seu projeto pedagógico, a forma como os computadores serão utilizados em sala de aula. Segundo o MEC, os equipamentos possuem um sistema de segurança que desativa o computador caso ele permaneça muito tempo fora da escola. O prazo de garantia das máquinas é de um ano.

Cada laptop do UCA saiu por R$ 550. O total de investimento no programa foi de R$ 82 milhões. O equipamento tem 512 megabytes de memória, tela de cristal líquido de sete polegadas, bateria com autonomia mínima de três horas e peso de 1,5 quilo.

Fonte: http://www.interdidatica.com.br/index.php?link=imprensa/noticias/405.php

sexta-feira, 16 de abril de 2010

5º Prêmio Educar para a Igualdade Racial

www.ceert.org.br - Data: Até 7 de maio

Até 7 de maio estarão abertas as inscrições para o 5º Prêmio Educar para a Igualdade Racial, que tem o objetivo de identificar, difundir, reconhecer e apoiar práticas pedagógicas preocupadas com a valorização da diversidade.

Informações pelo site www.ceert.org.br

domingo, 11 de abril de 2010

A pessoa com deficiência e o acesso aos espaços culturais e artísticos

Paulo Roberto Barbosa Ramos[1]

A partir de 1988 a Sociedade Civil e o Estado no Brasil passaram a priorizar, indiscutivelmente, o homem como ser de direitos. Tal fato decorreu da promulgação da Constituição da República Federativa que iniciou o seu texto estabelecendo a cidadania e a dignidade da pessoa humana como princípios fundamentais norteadores de toda e qualquer conduta dos cidadãos e autoridades como forma de viabilizar a construção de uma sociedade livre, justa e solidária, capaz de promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação.

"...para que a cidadania e a dignidade da pessoa humana se tornem realidade no Brasil faz-se necessário garantir todos os direitos enumerados como fundamentais pela Constituição de 1988 ...".

Contudo, para que a cidadania e a dignidade da pessoa humana se tornem realidade no Brasil, materializando uma sociedade livre, justa e solidária, faz-se necessário garantir todos os direitos enumerados como fundamentais pela própria Constituição de 1988, como a vida, a liberdade, a segurança, a propriedade, a igualdade, a educação, a saúde, o trabalho, a moradia, o lazer, a previdência, a assistência social, a cultura.

O direito de acesso aos espaços culturais e artísticos aos portadores de deficiência representa a implementação, a efetivação dos princípios e objetivos traçados pela própria Constituição. Alem disso, é reflexo da associação dos direitos à liberdade e do direito à cultura, sem considerar o fato de que pode se constituir no próprio direito ao lazer, o que impõe a conclusão de que os direitos fundamentais são indissociáveis.

O caráter de indissociabilidade dos direitos fundamentais é de grande relevância, porquanto a Constituição, que objetiva construir uma cidadania plena, acessível a todos os brasileiros, terá mais possibilidade de materialização. Com essa interpretação, tem-se a justificativa para o fato de que devem ser necessariamente assegurados aos portadores de deficiência o acesso à cultura e às manifestações culturais, porque esse acesso é condição essencial de garantia plena da cidadania desses cidadãos, uma vez que representa não somente o direito à liberdade, como também ao lazer e a todos os bens e valores imprescindíveis à inserção desse segmento homem na sociedade.

Se o acesso aos espaços culturais e artísticos é relevante para a formação plena dos cidadãos, deve ser garantido a eles o acesso a esse direito. Por outro lado, se os espaços em que essas manifestações se dão não estão preparados arquitetonicamente para receber as pessoas portadoras de deficiência, notadamente física, essas pessoas terão inviabilizado o seu direito de acesso à cultura e às manifestações artísticas. Dessa forma, para que as pessoas portadoras de deficiência tenham direito ao acesso à cultura e às manifestações artísticas, os espaços em que se dão devem estar perfeitamente adaptados às suas necessidades. Nenhuma justificativa parece aceitável para que esses espaços, como quaisquer outros não estejam adaptados, nem mesmo o de que os prédios em que elas se dão são históricos, tombados pelo patrimônio. Para que servem então as novas tecnologias? Questões financeiras podem ser até ventiladas, entretanto, não podem representar óbices às adaptações necessárias.

Ademais, outros recursos devem ser utilizados para facilitar o acesso das pessoas com as mais variadas deficiências a esses locais, como, por exemplo, a qualificação dos profissionais que organizam esses eventos na Língua Brasileira de Sinais, instalação de equipamentos sonoros em museus, equipamentos visuais, dentre outros recursos.

Somente com essas preocupações, a Constituição estará sendo plenamente respeitada, especialmente porque ela impõe que os portadores de deficiência sejam cidadãos completamente integrados à sociedade.


_________________________________________________________

[1] Paulo Roberto Barbosa Ramos é Pós-Doutorando na USP, Doutor em Direito Constitucional pela Pontificia Universidade Católica de São Paulo, é professor adjunto do Departamento de Direito da Universidade Federal do Maranhão e Promotor de Justiça da Promotoria Especializada dos Direitos das Pessoas Portadoras de Deficiência e Idosos do Maranhão.

quarta-feira, 7 de abril de 2010

A "Evolução" da Educação?

Antigamente se ensinava e cobrava tabuada, caligrafia, redação,
datilografia...
Havia aulas de Educação Física, Moral e Cívica, Práticas Agrícolas, Práticas
Industriais e cantava-se o Hino Nacional, hasteando a Bandeira Nacional
antes de iniciar as aulas.

Leiam relato de uma Professora de Matemática:

Semana passada, comprei um produto que custou R$ 15,80. Dei à balconista R$
20,00 e peguei na minha bolsa 80 centavos, para evitar receber ainda mais
moedas. A balconista pegou o dinheiro e ficou olhando para a máquina
registradora, aparentemente sem saber o que fazer.

Tentei explicar que ela tinha que me dar 5,00 reais de troco, mas ela não se
convenceu e chamou o gerente para ajudá-la

Ficou com lágrimas nos olhos, enquanto o gerente tentava explicar e ela
aparentemente continuava sem entender.

Por que estou contando isso?

Porque me dei conta da evolução do ensino de matemática desde 1950, que foi
assim:

01. Ensino de matemática em 1950:

Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00.
O custo de produção é igual a 4/5 do preço de venda.
Qual é o lucro?

02. Ensino de matemática em 1970:

Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00.
O custo de produção é igual a 4/5 do preço de venda ou R$ 80,00. Qual é o
lucro?

03. Ensino de matemática em 1980:

Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00. O custo de produção é R$
80,00. Qual é o lucro?

04. Ensino de matemática em 1990:

Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00.
O custo de produção é R$ 80,00. Escolha a resposta certa, que indica o
lucro:
a) ( )R$ 20,00
b) ( )R$ 40,00
c) ( )R$ 60,00
d) ( )R$ 80,00
e) ( )R$ 100,00

05. Ensino de matemática em 2000:

Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00.
O custo de produção é R$ 80,00. O lucro é de R$ 20,00.
Está certo?
a) ( )SIM
b) ( ) NÃO

06. Ensino de matemática em 2009:

Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00.
O custo de produção é R$ 80,00. Se você souber ler, coloque um X no R$
20,00.
a) ( )R$ 20,00
b) ( )R$ 40,00
c) ( )R$ 60,00
d) ( )R$ 80,00
e) ( )R$ 100,00

07. Em 2010 vai ser assim:

Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00.
O custo de produção é R$ 80,00. Se você souber ler coloque um X no R$ 20,00.
(Se você pertence a minorias como: afro descendente, pessoa com deficiência, indígena ou de qualquer outra minoria social não precisa responder)
a) ( )R$ 20,00
b) ( )R$ 40,00
c) ( )R$ 60,00
d) ( )R$ 80,00
e) ( )R$ 100,00

E se um moleque resolve pichar a sala de aula e a professora faz com que ele
pinte a sala novamente, os pais ficam enfurecidos, pois a professora
provocou traumas na criança.

Todo mundo 'pensando' em deixar um planeta melhor para nossos filhos...
Quando é que 'pensarão' em deixar filhos melhores para o nosso planeta?"

Essa pergunta foi vencedora em um congresso sobre vida sustentável.

segunda-feira, 5 de abril de 2010

Manual de combate à violência doméstica.

Izabel Leão / Jornal da USP
O Instituto de Psicologia (IP) da USP lançou, no início do mês, o Inventário de Frases no Diagnóstico de Violência Doméstica contra Crianças e Adolescentes (IFVD), um instrumento para auxiliar na identificação da violência física e sexual doméstica contra crianças e adolescentes de 6 a 16 anos de idade. No evento de lançamento do manual, realizado na Livraria da Vila, em São Paulo, ocorreu também uma mesa-redonda, que contou com a presença da professora Rosa Inés Colombo, da Faculdade de Psicologia da Universidade de Buenos Aires, na Argentina – criadora do instrumento –, Dalka Ferrari, do Instituto Sedes Sapientae, e a professora Leila Tardivo, do Instituto de Psicologia.

O manual brasileiro foi coordenado pela professora Leila Tardivo com o objetivo de apresentar o estudo comparativo dos resultados levantados na aplicação do IFVD entre crianças vitimas de violência doméstica com um grupo controle. O instrumento IFVD é composto de 57 frases de simples compreensão, às quais as crianças e adolescentes devem responder sim ou não, e foi traduzido do espanhol para o português a partir de uma pesquisa financiada pela Fapesp. O manual também apresenta os resultados obtidos na pesquisa realizada com 1.010 crianças e adolescentes, sendo 503 com experiência de agressão doméstica comprovada e 507 sem essa suspeita. “Constatamos que, entre as vítimas, a maior parte de sujeitos é do sexo feminino. A violência mais frequente é a física e a sexual, principalmente no sexo feminino. Esses dados confirmam estudos epistemológicos da área”, ressalta Leila. “Essa pesquisa comprova o quanto esse instrumento pode ser útil na tarefa de identificar a violência, devendo ser usado quando há suspeita de agressão.”

Embora a finalização do trabalho seja importante para outros profissionais da área, a professora se diz preocupada por saber que ainda há tantas crianças e adolescentes que sofrem a experiência da violência dentro de seus lares, com todas as conseqüências decorrentes na saúde física e mental desses jovens. “É nos lares que se espera que as crianças sejam protegidas, amparadas, cuidadas e amadas para se desenvolver. No entanto, uma vez que esse fenômeno se configura em triste realidade, é urgente cada vez mais conhecê-lo e compreendê-lo para poder enfrentá-lo: prevenindo e tratando. É uma missão de todos, em especial de profissionais da área da saúde e da educação.”

Leila conta que, ao tomar contato com o instrumento, decidiu realizar um estudo, procedendo à tradução do inventário. Ela verificou que as crianças compreendiam bem as frases e que estas discriminavam crianças vítimas de violência, em relação às sem suspeita de vitimização.

O manual
O manual é composto de seis capítulos, além das referências bibliográficas e os anexos. O primeiro capítulo trata do fenômeno da violência doméstica contra crianças e adolescentes, constituindo-se na fundamentação teórica, trazendo o referencial com o qual se aborda o fenômeno, com apresentação de bibliografias, para consulta e pesquisa.

A descrição do IFVD é realizada no segundo capítulo, composto por 57 frases. Por exemplo: “tenho muito medo da noite”, “meus amigos sabem tudo a meu respeito”, “Muitas vezes tenho vontade de pegar algo que não é meu”, “Estou triste porque tudo dá errado comigo”, “Acredito que meu pai não vai me machucar”, “O tempo todo me incomodam as lembranças de coisas feias que me aconteceram”, “Sinto meu corpo usado”, “Todos me traem”, “Estou louco/a”).

São frases de simples compreensão, que exigem que a criança responda sim ou não (se têm a ver com sua vida), sendo que as frases não tratam da experiência de vitimização de forma direta, mas estão relacionadas aos transtornos que a ela traz, emocionais, cognitivos, sociais e físicos.

O relato da pesquisa apresenta-se no terceiro capítulo, com descrição da composição dos dois grupos estudados: 503 crianças vítimas de violência doméstica comprovada, do grupo experimental, e 507 crianças sem suspeita de serem vítimas dessa experiência, que compõem parte do grupo controle. “É importante observar que houve dificuldades no trabalho de campo, mas que foram enfrentadas e vencidas”, afirma Leila.

A equipe pesquisadora visitou centros de atendimento, organizações não-governamentais e vítimas da violência doméstica. Leila conta que todos os procedimentos foram seguidos criteriosamente para compor o grupo experimental de crianças e adolescentes que seriam entrevistados. Foram realizadas reuniões e palestras com diretores, orientadores de escolas e com os pais das crianças. Termos de consentimento foram assinados, e também entrevistas individuais foram realizadas.

Nesse levantamento, Leila e equipe constataram que em alguns bairros a violência física por parte do pai, principalmente, era mais frequente, o que deixou claro que a violência física na infância, no Brasil, ainda é considerada uma forma de educação e disciplina.

Ainda no terceiro capítulo encontram-se as tabelas com os dados estatísticos dos resultados encontrados. Na maioria dos casos as crianças vítimas de violência são do sexo feminino, nas idades entre 10 e 11 anos, com nível de escolaridade da primeira série, com um atraso considerável quando comparados aos sujeitos do grupo controle, “sendo esse problema na educação formal um dos efeitos da violência doméstica”, observa Leila.

altO tipo de violência mais encontrado foi a física e a sexual, muito mais frequente no sexo feminino. O IFVD diferenciou de forma estatisticamente significante os grupos de crianças vitimas de violência doméstica (grupo experimental) daquelas sem suspeita de vitimização (grupo controle). “Assim as médias do grupo experimental foram sempre maiores que o de controle em todas as situações investigadas”, afirma.

O capítulo quatro descreve as instruções a serem seguidas na aplicação do IFVD e o quinto capítulo expõe a interpretação dos dados. Os casos clínicos estão descritos no sexto capitulo, apresentando protocolos de três meninas vitimas de violência doméstica e que apresentaram pontuação compatível com a obtida no grupo experimental.

Leila ressalta que embora o IFVD tenha sido criado na Argentina e traduzido para o português, é perfeitamente válido empregá-lo em um número representativo de crianças brasileiras. “É um instrumento que discrimina os dois grupos, ou seja, crianças vítimas de violência doméstica (nas formas física e sexual) e aquelas sem essa experiência, sendo possível dizer que foram encontradas evidências de que o instrumento foi capaz de discriminar vitimas de violência infantil das que não apresentavam esse tipo de problemática na amostra estudada”, complementa. “Nosso objetivo maior é poder ajudar a melhorar a vida de centenas de crianças e adolescentes que sofrem com essa violência, oferecendo um atendimento melhor, formando pessoas e trabalhando na prevenção.”