quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Notícias » Brasil » Brasil SP: câmeras gravam professoras agredindo crianças em creche.

A Delegacia da Mulher de São José do Rio Preto, a 440 km de SP, afirmou nesta quarta-feira que apura denúncias contra três professoras da rede municipal acusadas de agredir crianças de um 1 ano e meio a 3 anos de idade em uma creche da cidade. Câmeras instaladas na escola Caminho do Futuro, na zona norte, teriam registrado cenas com imagens de crianças sendo chacoalhadas e sofrendo empurrões das professoras, que também teriam incentivado os alunos a se agredirem mutuamente.

As câmeras foram instaladas no final do ano pela Secretaria de Educação de Rio Preto, após professoras da escola denunciarem as agressões. Depois de captadas as imagens, a secretaria entregou a fita à polícia e demitiu as professoras acusadas, cujos nomes não foram revelados.

A delegada da Mulher de Rio Preto, Dálice Ceron, que teve acesso às imagens, disse que espera para esta quinta-feira o resultado oficial do laudo pericial comprovando a veracidade das imagens. "Nesta quinta também vamos ouvir quatro professoras que presenciaram as agressões das colegas e podem confirmar as denúncias", disse a delegada.

Ela disse ainda esperar a qualificação das professoras acusadas para poder ouví-las. "Espero concluir as investigações até a semana que vem para enviarmos o relatório do caso para o Ministério Público (MP)", disse.

De acordo com a delegada, as imagens mostram agressões físicas e psicológicas. "Mas as agressões físicas mostradas nas imagens não são suficientes para causar hematomas", disse a delegada.

Pais de filhos matriculados na creche se reuniram nos dois últimos dias para reclamar das condições da escola e fazer um protesto contra as agressões. "O que aconteceu foi que alguém exagerou e disse que as agressões eram bem mais intensas do que as que realmente ocorreram. No entanto, são agressões psicológicas e físicas que denunciam situações de maus-tratos e constrangimento passado pelas crianças, por isso, enviarei a denúncia para o MP e para a Vara da Infância e da Juventude para que analisem quais os tipos de crime cabem neste caso", afirmou a delegada.

Duas das três professoras trabalhavam na creche havia nove anos e, por cometerem maus-tratos, podem pegar mais de um ano prisão, com acréscimo de um terço pelo fato de as vítimas serem menores de 14 anos

Nenhum comentário:

Postar um comentário